Feeds:
Posts
Comentários

Livro Grátis

Tudo mundo sabe a importância da comunicação no mundo dos negócios. De nada vale o conhecimento se não podemos transmiti-lo corretamente. Por essa razão gostaria de lhes oferecer esse grande livro do mestre em comunicação Reinaldo Polito. É um livro que sempre carrego comigo e que em me ajudado muito na minha profissão.

Espero que apreciem!

Para baixar o livro é so clicar no link abaixo:

http://www.4shared.com/file/59937042/fb987e4b/Reinaldo_Polito_-_Gestos_e_Postura_para_Falar_Melhor_doc_-_revisado.html?signout=1

Você é Resiliente?

O termo “resiliência psicológica” surgiu na década de 1960, quando Frederic Flach, estudando sua história de vida e de outros que haviam superado grandes adversidades, emprestou-o da Física e da Medicina e passou a empregá-lo para o ser humano. Desde aquela época a resiliência tem sido atribuída a pessoas com enorme capacidade de enfrentar desafios, lidar com imprevistos e superar crises sem serem afetados negativamente por elas, ou seja, mantendo seu equilíbrio emocional e conservando sua essência.

Confesso que quando tive contato com esse termo pela primeira vez fui tomado por um certo ceticismo. Será mesmo que dá pra ser Resiliente o tempo todo? Essa qualidade é inata ao ser humano ou pode ser desenvolvida?

Tenho lido bastante a respeito do assunto e tenho procurado alguns exemplos atuais de possíveis resilientes. A sensação que tinha até estudar mais profundamente o assunto, era que essas pessoas eram perfeitas e que eram sempre resilientes. Mas notei que essa qualidade pessoal além de poder ser desenvolvida, também ocorre gradualmente e nem sempre podemos ser resilientes em tudo. É possível que uma pessoa resiliente também se deprima, se decepcione e tenha seus momentos obscuros. Mas o que faz a diferença nessas pessoas é a capacidade em voltarem ao seu estado original. Suas experiências negativas não influenciam o seu presente. São capazes que julgar os acontecimentos baseadas em seus valores e príncipios e não na opinião alheia ou fatores externos.

O especialista no assunto George Souza Barbosa, diretor científico do Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento Pessoal – ALIANÇA, explica: “Tenho defendido que ela é um atributo inato do ser humano, porém necessita da intervenção externa para sua maturação. A mesma coisa que acontece com a capacidade de ser alfabetizado. Está lá, no entanto, necessita haver uma intervenção sobre ela para sua potencialização.”

De acordo com o que eu li até agora, o momento ideal para se desenvolver a resiliência é na infância, mas os adultos ainda podem ter esperança. Um ótimo exemplo disso é a velocista Ádria Rocha, 29 anos, a maior estrela do universo das paraolimpíadas, com uma coleção de medalhas de ouro e prata. Ela garante que se torna mais resistente a cada dia. Filha de um pedreiro e de uma costureira, Ádria e outros três irmãos, entre nove, têm retinose pigmentar, doença que atinge a retina e pode levar à cegueira. Mineira de Nanuque, a atleta conta que enxergava minimamente e que amargou a discriminação de professores e de colegas por causa da dificuldade de aprender. Superou o drama ao encontrar sua expressão no esporte. Já havia se destacado nas Paraolimpíadas de Seul, quando, aos 15 anos, se deparou com uma gravidez precoce. Casou e abandonou as pistas por exigência do marido. Aos 18 anos, mais problemas: ficou completamente cega. A nova realidade fez com que Ádria juntasse forças para se separar e voltar aos treinos. Sem patrocínio, sustentava a filha, Bárbara, vendendo bilhetes de loteria nas ruas de Belo Horizonte. Títulos e medalhas vieram um atrás do outro, até conquistar o primeiro lugar no ranking mundial. Ela detém o recorde de 12 minutos e 34 segundos nos 100 metros rasos, obtido em 2000, em Sydney. “Se ficasse choramingando, usando como desculpa a falta de dinheiro, de visão e de marido, com certeza não chegaria a lugar algum”, diz. Quem ouve a história de Ádria imagina que seja a mulher-maravilha. Não é. Ela desmoronou no ano passado, ao sofrer uma contusão no joelho e uma cirurgia. “Tive medo de não conseguir mais correr”, revela. Para essas pessoas especiais, porém, um empurrão basta. No caso da atleta, veio da fisioterapeuta Vanda Sampaio. “Ela me acompanhou nos exercícios e me ajudou a recuperar a autoconfiança.”

Uma das principais especialistas em resiliência, a psicóloga Cenise Monte Vicente explica que, para desenvolver essa capacidade, nós precisamos encontrar apoio – mesmo que pequeno – e sentir que alguém acredita em nós. A importância de cercar-se de bons amigos deve ser sempre lembrada nessas horas. A esposa ou marido também tem um fator determinante. É claro que se dependermos exclusivamente desse apoio temos uma boa chance de nos frustrar. Pois quantas vezes você buscou apoio para alguma idéia brilhante, ou um novo projeto e não encontrou ninguém para apoiá-lo?

A minha opinião é que se temos um objetivo claro para nossas vidas, ou melhor, se possuímos nossa própria missão de vida, definindo onde estou e onde quero e posso chegar profissionalmente e pessoalmente, fica muito mais fácil superar as crises e desafios diários. Acredito que quando há um propósito maior por trás de tudo que fazemos conseguimos encontrar a verdadeira motivação ,ou seja, nosso motivo para agir.

Eduardo Carmello revela que as pessoas resilientes possuem cinco características que os ajudam a buscar oportunidades em meio aos problemas: proatividade, positividade, flexibilidade, capacidade de manter sempre o foco em mente e sempre se organizar diante de uma situação complexa. “São pessoas que sabem que não podem impedir a desestrutura, mas conseguem dominar a situação, agindo rapidamente com consistência”.

E você? Se considera uma pessoa resiliente?

Esse artigo retirei do blog da Cybele, aliás vale a pena visitar!!

Os japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém, as águas perto do Japão não produzem muitos peixes há décadas. Assim, para alimentar a sua população, os japoneses aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe do que nunca. Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo levava para o peixe chegar. Se a viagem de volta levasse mais que alguns dias, o peixe não era mais fresco. os japoneses não gostaram do gosto destes peixes. para resolver este problema, as empresas de pesca instalaram congeladores em seus barcos. Eles pescavam e congelavam os peixes em alto-mar. os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em alto-mar por muito mais tempo. Os japoneses conseguiram notar a diferença entre peixe fresco e peixe congelado e, é claro, eles não gostaram do peixe congelado. Entretanto o peixe congelado tornou os preços mais baixos.
.

Então as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar os peixes nos tanques como “sardinhas”.
Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles paravam de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam vivos, porém cansados e abatidos. Infelizmente os japoneses ainda podiam notar a diferença do gosto. Por não se mexerem por dias, os peixes perdiam o gosto de frescor.
.
Os japoneses preferiam o gosto de peixe fresco e não o gosto de peixe apático. Como os japoneses resolveram esse problema? Como eles conseguiram trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor?
.
Se você estivesse dando consultoria para a empresa de pesca, o que você recomendaria?
Antes da resposta leia o que vem abaixo:
.
Quando as pessoas atingem seus objetivos – tais como: quando encontram uma namorada maravilhosa, quando começam com sucesso em uma empresa nova, quando pagam todas as suas dívidas, ou o quer que seja, elas podem perder as suas paixões.
.
Elas podem começar a pensar que não precisam trabalhar tanto, então, relaxam. Elas passam pelo mesmo problema dos ganhadores de loteria, que gastam todo o seu dinheiro, o mesmo problema de herdeiros, que nunca crescem, e de donas-de-casa, enteadas, que ficam dependentes de remédios de tarja preta. Para esses problemas, inclusive no caso dos peixes dos japoneses, a solução é bem mais simples. L. Ron Hubbard observou, no começo dos anos 50:
.
“O Homem progride, estranhamente, somente perante a um ambiente desafiador”. Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é mais você gosta de um bom problema. Se seus desafios estão de um tamanho correto e você consegue, passo – a – passo, conquistar esses desafios, você fica muito feliz. Você pensa em seus desafios e se sente com mais energia. Você fica excitado e com vontade de tentar novas soluções. Você se diverte. Você fica vivo!
.
Resposta:
Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de pesca japonesas ainda colocam os peixes dentro de tanques, nos barcos. Mas, eles também adicionam um pequeno tubarão em cada tanque. O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos peixes chega “muito vivo” e fresco no desembarque. Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos tanques. Portanto, como norma de vida, ao invés de evitar desafios, pule dentro deles. Massacre-os. Curta o jogo.
.
Se seus desafios são muito grandes e numerosos, não desista, se organize! Busque mais determinação, mais conhecimento e mais ajuda. Se você alcançou seus objetivos, coloque objetivos maiores. Uma vez que suas necessidades pessoas ou familiares forem atingidas, vá ao encontro dos objetivos do seu grupo, da sociedade e, até mesmo, da humanidade.
Crie seu sucesso pessoal e não se acomode nele. Você tem recursos, habilidades e destrezas para fazer a diferença.
.
“Ponha um tubarão no seu tanque e veja quão longe você pode chegar…”

O mercado de trabalho tem mudado rapidamente ao longo dos anos. Novas profissões tem surgido e muitas deixaram de existir. As exigências na hora da contratação aumentaram consideravelmente, por isso já não basta deixar seu currículo em uma agência de emprego e torçer pra ser chamado pra uma entrevista. Se quer conseguir um bom emprego ou mudar do atual, é preciso seguir alguns passos essenciais.

A Auto-avaliação

Decida o que você quer fazer: Apesar de óbvil, ainda se encontra muita gente por ai querendo fazer “qualquer coisa”. Estabeleça seus planos a curto e longo prazo, conheça suas limitações, habilidades, interesses e valores.

Saiba o que você pode oferecer a empresa: Ao fazer seu currículo ou conversar com um possível empregador tenha em mente que nesse momento você está tentando “vender” você como profissional. Por isso é necessário destacar seus pontos fortes e outras qualidades que possam contribuir para o bom desempenho de sua função. Entre vários podemos destacar:  Talentos, formação acadêmica, experiência, exitos em projetos anteriores, etc.

De acordo com as últimas pesquisas, as qualidades mais apreciadas pelo mercado de trabalho são:

Capacidade de adaptação
Iniciativa e capacidade de decisão
Capacidade de trabalhar em equipe
Honestidade
Boa aparência
Maturidade
Senso prático
Ambição
Responsabilidade
Disponibilidade

O conhecimento do mercado

Analisar as oportunidades laborais a sua volta. Identifique qual setor oferece os melhores salários, profissões em ascenção, empresas que possuem planos de carreira, etc.
Escolha um trabalho que possa se adequar ao seu perfil. Durante muitos anos escutamos nossos pais e avós dizerem que trabalhar no que se gosta era coisa de gente rica…você já ouviu isso? Mas a verdade é que, os que se tornam ricos trabalham no que gostam, e por isso tem um desempenho acima da média. Com isso conseguem promoções, aumentos de salário, benefícios e muitas outras regalias reservadas somente aos profissionais de ponta.

Partindo para Ação

Detectar as ofertas:Uma grande porcentagem das ofertas de trabalho se consegue através de referências e contatos pessoais. Mas também são válidos os anúncios de jornais, sites especialidados em recolocação profissional e sites de empresas que anúnciam suas vagas.

Alguns conselhor úteis:

  • Não se apresente só aos postos de trabalho que se anunciam. Descubra o nome, o cargo e o endereço de qualquer empresa ou profissional que tenha relação com sua área de interesse.
  • Lembre-se que está se apresentando como um profissional que oferece seus serviços, não como alguém que suplica trabalho. Valorize-se!
  • Consiga os endereços de 20 a 25 empresas que gostaria de trabalhar e envie seu currículo, se antes conseguir o nome e cargo da pessoa responsável pela vaga terá uma chance muito maior de ao menos ter seu currículo visualizado por quem pode contratá-lo.

Participar de entrevistas: Esse passo deve ser realizado com cautela. Você não precisa participar de todas as entrevistas em que é convidado. Seria interessante conseguir algumas informações antes mesmo de confirmar sua presença na entrevista. Algumas empresas informam previamente por telefone ou email as condições oferecidas e o perfil desejado. Isso evita que você e a empresa perdam seu tempo. Se quiser ser proativo e se diferenciar dos concorrêntes na disputa de uma vaga é preciso estar preparado. Se quer saber como se preparar melhor clique aqui.

Não dá pra negar. Todo mundo está mais atento a esse enorme país chamado China. Principalmente após o começo das Olimpíadas. Fico surpreso quando observo os costumes e cultura desse povo milenar. Porém o que mais me chocou foi o hábito dos chineses em andar de pijama nas ruas da cidade. Isso ocorre com mais frequência no começo do dia ou final da tarde.

Há várias teorias sobre o tema, mas o que se descobriu foi que essa mania dos chineses, transmite uma mensagem não verbal em que o sujeito que está de pijama está informando aos outros, de terno ou de macacão com quem cruza na calçada: “Sou um trabalhador como você. Mas sou tão eficiente que posso gozar de horas de folga, ou um dia inteiro livre, como prova o pijama que estou usando”.

A qualidade do pijama também é muito importante. Pijamas de seda dão muito mais status que um pijama de algodão. Os que estão em moda atualmente são os que combinam vermelho com amarelo e estampas que fazem alusão a Revolução Cultural.

Quer ser proativo? Se for à China leve alguns pijamas adicionais na mala. Nunca se sabe se você terá que usá-los na rua…

<a href=”http://technorati.com/claim/zmwrwa9hh” rel=”me”>Technorati Profile</a>

Mudança de layout

Como alguns de vocês poderão observar mudei a “cara” do blog. Adoro mudanças e achei que deveria dar uma repaginada aqui também. Achei que as cores ajudam a ler melhor os artigos.

Estou aberto a novas sugestões…

As sondas americanas Mars Explorer Spirit e Phoenix Mars Lander, retiraram amostras do solo de Marte, propiciando estudos sua composição química, e acabaram comprovando a existência de água em solo marciano.

E agora através de imagens inéditas, conseguiram provar que existe vida em Marte.

E vida inteligente. Pois não só demonstraram saber se comunicar através de escrita, como também sabem das intenções imperialistas, bobas, feias e malvadas da potência deste planeta azul.

Veja a imagem exclusiva dos marcianos e de sua capacidade cognitiva:

 

Vejam que pode se notar parte do painel solar da sonda na parte inferior da imagem.

Nas faixas, há dizeres como Yankee, voltem para casa e Marte para os Marcianos, talvez temendo uma invasão assim como fizeram com o Afeganistão e Iraque.

Segundo fontes não identificadas, o governo americano tentou manter em segredo as imagens, mas o serviço secreto venezuelano a mando do Presidente Chaves conseguiu interceptar uma das imagens que comprova o fato.

Fonte: http://idealismodebuteco.wordpress.com